REGIÃO

Como povoado, a cidade começa em 1842, em descoberta do Vau, no Rio Iguaçu, - lugar no rio de baixa profundidade que facilitou as passagens das tropas que vinham dos campos de Palmas. Esse lugar era também o ponto de embarque e desembarque para quem se vali do Iguaçu como meio de transporte. Daí o primeiro nome: Porto da União.
 
A pequena vila cresce e em 1855 tem seu nome mudado para Porto União da Vitória. Em 1880 chega de Palmas para se estabelecer no comércio, com a compra e venda de sal, o Coronel Amazonas Marcondes. No ano seguinte tem início a navegação a vapor no Rio Iguaçu transportando passageiros e mercadorias.
 
O grande rio sempre esteve ligado à vida e a história da cidade, desde suas origens, acariciando ou castigando-a, às vezes. A partir deste ano chegam os primeiros colonos de origem européia, na maioria alemães. Mais tarde aportam outras etnias: poloneses, ucranianos, austríacos e russos. No início do século XX, chegam os libaneses. Acidade desenvolveu-se e em 1901, é criado o município de União da Vitória.
 
Em 1912 tem início conflitos do Contestado que se prolongam até 1916. em 5 de setembro de 1917 é criado o município de Porto União  que a partir daí, passa a conviver, em todos os aspectos, com a parte da cidade que ficou do lado paranaense. É paradoxal, mas é verdadeira, a linha que divide os municípios, une as comunidades.

O relevo é constituído de planícies, montanhas, vales, grandes várzeas nas bacias dos  Rios  Iguaçu e Jangada, na divisa com o estado do Paraná, e do Rio Timbó.
O clima se classifica como mesotérmico úmido, com temperaturas médias de 17o  C e uma precipitação anual de 1.400 milímetros. O município é banhado pelos Rios Iguaçu e seus afluentes Jangada, Timbó, Pintado, dos Pardos, Bonito e Tamanduá.

O setor turístico do município possui muita diversidade e estrutura para os turistas. No total são 150 cachoeiras e corredeiras que compõem o cenário natural do nosso interior. Um dos destaques é o Salto do Pintado, a 18 km da área central. Com 30 metros de altura, fornece energia para a fábrica de bancos de Igreja de São Miguel da Serra, um dos mais importantes  distritos do  município. Também merece  destaque o salto do rio dos pardos, com 74 metros  de altura, um dos maiores  da América  do Sul. Além destas, muitas outras cachoeiras possuem estilos mais selvagens, algumas são de difícil acesso e acabam atraindo turistas para aventuras radicais, como rapel, treeking ou canoagem.